Há quem diga que “para bom entendedor, meia palavra basta”. Mas será mesmo que aquilo que a gente fala é o que o outro escuta?

Avanços tecnológicos têm mudado muito o jeito que nos comunicamos. Mas apesar desses avanços, basta olharmos para a proliferação de “fake news” e para as discussões de grupos de família no whatsapp para percebermos que vivemos ilusões de que nos entendemos.

Sempre de olho nos movimentos atuais da sociedade, o GNT, em parceria com a Inesplorato, se propôs a desvendar as raízes de nossos desentendimentos contemporâneos. Investigamos a qualidade de nossas trocas e o resultado disso na forma como enxergamos o mundo.

De que maneira o jeito que nos comunicamos e nos informamos hoje constroem ou distorcem a realidade? O que as nossas conversas revelam sobre nós? Até que ponto podemos culpar a tecnologia pelo azedamento de nossas relações?

Essas são apenas algumas das provocações que o estudo “Meia Palavra” explora e que nos levam a compreender a natureza dos vínculos que criamos com os outros nesse “telefone sem fio” diário.

Assista ao Caio Braz, Louie Ponto, Ana Paula Xongani, Alexandrismos, Vítor diCastro e Tulio Custódio debatendo sobre os ruídos na comunicação.

 

Leia também:
Meia Palavra  |  O poder da comunicação humana e suas nuances nos ajudam a desvendar as raízes dos desentendimentos contemporâneos, investigar a qualidade das trocas humanas e o reflexo disso na forma como enxergamos o mundo.

Série Meia Palavra  |  Descubra mais ilusões de comunicação e reflexões sobre o tema no canal do GNT no YouTube.