À medida que a tecnologia avança para acompanhar a Geração Alpha, assim nomeada pelo pesquisador social australiano Mark McCrindle, tendências de uso de recursos acessíveis e amigáveis, como os aplicativos de comando por voz, se tornarão meios de comunicação cada vez mais comuns entre humanos e máquinas, levando a teclados e telas o lugar das interfaces gestuais livres de controladores e conversas bidirecionais entre dispositivos e humanos. As apostas de um estudo elaborado pela revista Wired são que a próxima geração de jovens terá uma exposição sem precedentes à tecnologia. Alguns neurocientistas e psicólogos até acreditam que suas mentes serão de alguma forma diferentes das gerações anteriores.

Uma grande tendência que provavelmente será experimentada plenamente pela Geração Alpha é a inteligência artificial (IA). Alguns dispositivos IA são especificamente voltados para os alphas: a internet de alguns brinquedos atuais já incorporam tecnologias como reconhecimento de imagem ou voz, como os Hatchimals e as Barbies lançados recentemente. Outros itens que entram cada vez mais nas residências e na rotina na forma de aplicativos e assistentes de IA, como Amazon Echo e Google Home.

Esse aprendizado que estimula constantemente o cérebro dos alphas é também modificado por meio de experiências com o ambiente externo. Isso é conhecido como plasticidade cerebral - que não é uma exclusividade dos alphas, mas possível em todos os humanos estimulados neste sentido. "Toda a capacidade e toda a habilidade que temos é refinada pela forma como envolvemos nosso cérebro no mundo", explica Michael Merzenich, professor de neurociência emérito da Universidade da Califórnia, San Francisco, e pioneiro em pesquisa sobre plasticidade cerebral. "Essa é a base da criação da pessoa operacional que somos e como reagimos ao que vemos no mundo".

Os integrantes da Geração Alpha não nascem completamente diferentes dos Millennials ou da Geração Z, mas suas personalidades, motivações e perspectivas serão influenciadas por seus arredores mutáveis. Os efeitos da tecnologia nas mentes dos alphas, as tendências tecnológicas que definirão essa geração e como as organizações e as marcas poderão influenciar esses novos jovens, ainda são questionamentos em busca de respostas. É importante notar que os limites geracionais são em grande parte arbitrários e que há muito mais semelhança do que diferenças entre uma geração e outra.

"O objetivo não é fazer previsões de bola de cristal, mas explorar, com base nas tendências atuais e emergentes, os fatores que diferenciam essa geração das que vieram antes",  destaca Merzenich. Um maior acesso à tecnologia levará a novas formas de pensar e fazer – e à medida que a velocidade da mudança tecnológica acelera, assim também crescem as nossas expectativas em relação aos alphas.

Por anos, o cérebro humano tem confiado estimulação do mundo real para o seu desenvolvimento. Mas nas últimas décadas, as crianças cada vez mais se respaldam em dispositivos digitais para aprender, interagir e brincar. Este é um traço muito específico que diferencia os alphas das gerações anteriores – isso pode aumentar a capacidade de conhecimento e inteligência ou dificultar suas chances de desenvolvimento? Ainda não sabemos.

Para a Wired, os alphas provavelmente terão expectativas cada vez maiores de dispositivos inteligentes à medida que são expostos a eles desde cedo. Sem dúvida, serão mais exigentes e mais intolerantes a eventuais erros das máquinas. O estudo observou que crianças alphas respondem ao robô Cozmo com admiração e respeito, há um tipo de empatia instantânea que gera um elo de confiança com a máquina. É nesse relacionamento que surgem as oportunidades de aprendizado, evolução e maior entendimento do contexto, sendo assim mais interativos.

geracao-alpha-cozmo

Fonte: Anki Cozmo

De qualquer maneira, também devemos reconhecer que, embora muitas experiências infantis atuais sejam compartilhadas entre linhas demográficas, o acesso à tecnologia não é igual para todos. Pode ser que uma das consequências mais críticas do avanço das tecnologias seja a desigualdade de efeitos positivos e de desenvolvimento. Os mais ricos e mais instruídos, com acesso à tecnologia, poderão obter algum tipo de vantagem.

Fonte: Wired

leia-mais-roxo
somos_geracao_alpha_img7

PRAZER, SOMOS A GERAÇÃO ALPHA!

A Geração Alpha redefine padrões de comportamento e, brincando, revela uma nova visão de mundo.

Podcast Brincadeira

BRINCADEIRA: ESPAÇO DE LIBERDADE E AUTONOMIA.

A importância do brincar. A forma de descobrir o mundo e se relacionar com ele, sem precisar atender a objetivos pedagógicos específicos.